21 de julho de 2024
Ark Therapeutic Brasil

10 dicas para crianças que precisam mastigar ou morder

Neste artigo, Debra vai te ajudar com 10 dicas para crianças que tem uma necessidade grande de mastigar ou morder. Você já desejou alimentos crocantes? Ou mascar chiclete? Você já mastigou as tampas das canetas enquanto se concentrava ou roeu as unhas quando estava nervoso? Todos nós temos hábitos sensoriais orais até certo ponto.

Para crianças com necessidades sensoriais e/ou autismo, no entanto, a informação sensorial oral pode desempenhar um papel particularmente importante . Mastigar ao longo do dia (especialmente em momentos de estresse e/ou ansiedade) pode ajudá-los a acalmar, concentrar-se e autorregular-se.

Há várias coisas que você pode fazer para ajudar a atender essa necessidade com segurança. Para efeitos deste post, irei me referir às crianças, mas as recomendações aqui podem ser aplicadas a qualquer idade. Algumas crianças superam isso, outras podem sempre ter necessidades sensoriais orais até certo ponto durante a idade adulta.

Observe que as informações aqui são baseadas em minha experiência com crianças que atendi pessoalmente como fonoaudióloga, por isso podem não ser relevantes para todos. Entretanto, NÃO há substituto para uma avaliação presencial com profissional capacitado, com tratamento adequado às necessidades do seu filho.

10 dicas para crianças que precisam mastigar – uma dieta sensorial oral

1. NÃO OBRIGUE A CRIANÇA A PARAR DE MORDER

Não é que eles QUEREM mastigar. É que eles têm uma NECESSIDADE sensorial oral de mastigar. Então dizer para eles pararem não vai ajudar.

Imagine estar em uma situação estressante e para se acalmar você começa a respirar profundamente. Então alguém vem até você e lhe diz para parar de respirar profundamente. Isso seria inapropriado, certo? Por que você não deveria tentar se acalmar? Da mesma forma, a mastigação é em grande parte um mecanismo de enfrentamento – é um movimento repetitivo que ajuda a organizar e desestressar.

Ouvimos algumas pessoas dizerem: “Deixar seu filho mastigar coisas é uma falta de educação – apenas diga a seus filhos para pararem”. Isso não é verdade e não resolverá o problema. É possível que seja comportamental. Na minha experiência, entretanto, mastigar regularmente itens não alimentares geralmente é baseado no sensorial. Seus corpos estão lhes dizendo que eles precisam de informações proprioceptivas, e eles estão ouvindo e seguindo o exemplo com astúcia.

Mas não se preocupe, existem coisas que você pode tentar para diminuir a mastigação, que abordaremos a seguir. Porém você não deve forçá-los a parar, especialmente sem ajudá-los a encontrar primeiro outros mecanismos de enfrentamento e intervenções terapêuticas. E eles podem sempre precisar mastigar até certo ponto, o que é normal. Trabalhe isso em vez de ir contra ele.

2. DÊ A ELES UMA FORMA SEGURA PARA MASTIGAR

As crianças muitas vezes procuram a coisa mais próxima disponível para mastigar, por exemplo as unhas, os dedos, os colarinhos das camisas, as mangas, os lápis, o controle remoto, etc. O que também pode ser muito perigoso. Algumas crianças mastigam os dedos até os ossos, roem as unhas, mastigam algo que contém produtos químicos nocivos, etc. Portanto, antes de mais nada, dê-lhes uma alternativa segura para mastigar .

Grabber e o Y-Chew foram criados especificamente para essa finalidade e ainda são algumas de nossas ferramentas de mastigação mais populares. Também fazemos diversas opções de “colares” para uma mastigação mais discreta em qualquer lugar. Todos parecem bijuterias normais, mas com um segredo legal: são mastigáveis.

10 dicas para crianças que precisam mastigar – uma dieta sensorial oral
10 dicas para crianças que precisam mastigar – uma dieta sensorial oral
10 dicas para crianças que precisam mastigar – uma dieta sensorial oral

Existem  mais de 35 opções de mordedores para autismo diferentes, mas todas as acima, especialmente,  têm uma longa extensão que pode alcançar os molares posteriores – é aqui que a mastigação é normalmente mais necessária (e onde fornece a entrada mais proprioceptiva para a mandíbula). Algumas crianças não gostam de ter nada em volta do pescoço; nesse caso,  topper para lápis (a última linha das imagens acima) e/ou pulseiras (abaixo) são uma boa opção.

10 dicas para crianças que precisam mastigar
10 dicas para crianças que precisam mastigar

Para obter ajuda para decidir quais ferramentas de mastigação usar, use este guia para restringir as opções.

Saiba como incluir o mordedor na rotina de uma criança

Cada vez que a criança tentar mastigar algo impróprio, lembre-a de usar o mordedor para mastigar. Seja consistente e paciente, pois pode levar algum tempo para redirecionar o hábito. Para obter os melhores resultados, faça um esforço em equipe e envolva todos no redirecionamento – professores, pais, irmãos, avós, babás, etc., pelo menos até que “pegue”.  Sempre envolva também a equipe terapêutica que acompanha a criança.

Como a maioria das coisas, as necessidades sensoriais orais podem variar muito. Por exemplo, algumas crianças têm uma necessidade muito leve de mastigar, outras têm uma necessidade muito intensa de mastigar. Alguns gostam de mastigar coisas muito macias, outros têm necessidades sensoriais orais mais pesadas e precisam de algo mais duro e duradouro. Todas os mordedores da ARK vêm em 3 níveis de resistência definidos por cores para atender todas as necessidades.   

Às vezes, uma ferramenta deste tipo resolve o problema – a criança pode precisar apenas de “pausas para mastigar” aqui e ali e usar seus “mordedores” conforme necessário.

No entanto, muitas vezes um mordedor é apenas uma peça do quebra-cabeça – outras estratégias sensoriais/calmantes (como as abaixo) também podem ser necessárias. Isto é especialmente verdadeiro quando se trata de mastigação agressiva e destrutiva e/ou quando a necessidade de mastigar é tão grande que inibe outros aspectos de sua vida.

10 dicas para crianças que precisam mastigar

3. Descubra o porquê

Uma das melhores coisas que você pode fazer é descobrir POR QUE eles estão mastigando. A partir daí, você poderá ajudar a aliviar o(s) problema(s) central(is). Para obter uma lista de alguns dos motivos mais comuns, clique aqui .

Estude quando e como eles mastigam. Contudo, é bom que você mantenha um diário para ver se algum padrão ou gatilho fica claro (talvez eles mastiguem mais quando estão entediados, cansados, chateados, frustrados, etc.).

Se o estresse for o fator principal, por exemplo, faça o possível para limitar as situações estressantes. Quando situações estressantes são inevitáveis, tente fornecer-lhes maneiras de gerenciá-las melhor, como estas ideias para o ambiente escolar .

Tenha em mente que mesmo que o estresse/ansiedade não seja a causa principal, normalmente as crianças mastigam mais durante/em resposta a situações estressantes. Além disso, o que você acha estressante pode não ser o mesmo que eles acham estressante. Indivíduos com necessidades sensoriais podem vivenciar o mundo de maneira diferente. Um ruído que você talvez nem perceba, por exemplo, pode soar como pregos em um quadro-negro para alguém com sensibilidade auditiva.

Consulte profissionais para identificar ou descartar quaisquer causas médicas. O pediatra e o dentista da criança geralmente são dois profissionais para começar a investigar. Você também pode consultar um nutricionista, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, psicólogo comportamental e/ou professores, etc.

4. BUSQUE UM PROFISSIONAL ESPECIALIZADO

Quando a necessidade de mastigar é sensorial, a consulta com um terapeuta ocupacional (TO) é muito importante.. Entre outras coisas, um TO normalmente elabora o que é chamado de “dieta sensorial” para ajudar a regular o sistema sensorial da criança.

Este programa pode incluir algumas dicas deste post e/ou outras estratégias conforme necessário. O objetivo de uma rotina sensorial é garantir que a criança receba a quantidade certa de estímulos proprioceptivos ao longo do dia. Junto com muitos outros benefícios, isso pode ajudar a diminuir a necessidade de mastigar.

5. FAÇA MASSAGEM NAS GENGIVAS

A massagem gengival às vezes pode ajudar a diminuir a necessidade de mastigar, fornecendo informações orais de uma maneira diferente. É uma atividade muito simples, mas muitas vezes muito eficaz, que você pode realizar em qualquer lugar. Para mais informações, clique aqui .

Você pode fornecer informações profundas nas bochechas/mandíbula externamente para ver se isso também ajuda. Se a criança não permitir a massagem nas gengivas dentro da boca, tente começar pelas bochechas ao longo da linha das gengivas.

10 dicas para crianças que precisam mastigar

6. ADICIONE ALIMENTOS MAIS DUROS À DIETA

Experimente adicionar alimentos mais duros à dieta da criança (cenoura, biscoitos, maçãs, etc.) durante as refeições e lanches. Na mesma linha da massagem gengival, isso pode ajudar a fornecer informações adicionais à mandíbula. Alimentos mais borrachudos também podem funcionar, pois proporcionam mais resistência e fazem a mandíbula realmente funcionar.

Às vezes, alimentos picantes e/ou com sabores fortes e intensos também podem ajudar. Como sempre, esteja atento a quaisquer alergias, habilidades motoras orais da criança e/ou quaisquer outras restrições alimentares.

7. INCORPORE OUTRAS ATIVIDADES ORAIS NA ROTINA DIÁRIA

Peça à criança que assopre apitos, beba com canudos, sopre bolas de algodão sobre a mesa, etc. Coloque a mistura para bolhas em um pouco de água e peça-lhes que soprem bolhas com um canudo . E assim por diante.  

Use canudos curvados e torcidos para dificultar a sucção. Beber líquidos espessos pelo canudo (como purê de maçã, milkshakes, iogurte, etc.) também pode aumentar a resistência, portanto faz com que a boca trabalhe mais.

Peça para a criança morder o mordedor e segurar por alguns segundos. E/ou puxe suavemente o mordedor enquanto eles a seguram no lugar entre os dentes.

Essas atividades não apenas mantêm a boca ocupada, mas também fornecem feedback sensorial oral.

10 dicas para crianças que precisam mastigar

8. USE VIBRAÇÃO

Tente usar uma Z-vibe junto com uma ponteira de escova para outro tipo de estímulo sensorial oral. A maioria das crianças que precisam mastigar são buscadoras de sentidos, então provavelmente vão adorar o aumento da sensação.

Você também pode tentar usar a Z-Vibe  (ferramentas motoras orais vibratórias) ao longo do dia – bata, acaricie e aplique pressão suave em todas as áreas da boca, incluindo lábios, gengivas, língua e bochechas. Algumas crianças que precisam mastigar têm baixa consciência oral e, nesse caso, essa vibração pode ajudar a “acordar” a boca com um nível novo e elevado de estimulação sensorial. 

Lembre-se sempre de consultar a equipe terapêutica antes de começar a utilizar estes produtos.

9. FAÇA ATIVIDADES QUE CANSEM BASTANTE

Muitas vezes, quando há necessidades sensoriais na boca, há necessidades sensoriais fora da boca também. Portanto quando você atende a essas necessidades fora da boca (quando o corpo recebe a quantidade certa de entrada proprioceptiva), a necessidade de mastigar geralmente diminui. “Trabalho pesado” pode soar intimidador, mas na maior parte do tempo isso é apenas sobre ficar ativo com atividades resistivas que empurram ou puxam o corpo – coisas como nadar, pendurar-se em barras de macaco, etc. Para mais informações sobre ideias de trabalho pesado e os benefícios, clique aqui .

10. SAIBA QUE VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO

Falei recentemente com alguém cujo filho tem Transtorno de Processamento Sensorial. Embora ele agora seja um adulto e suas necessidades sensoriais tenham diminuído em grande parte, entre outras coisas ele tinha uma forte necessidade de mastigar quando era mais jovem, às vezes mastigando várias camisas por dia. Seus pais não tinham ideia do que estava acontecendo ou como ajudar o filho.

Isso foi há mais de 25 anos, sem a Internet, e quando o TPS era muito menos comum (ou pelo menos as pessoas – até mesmo os médicos – não sabiam tanto sobre isso). No entanto, ainda hoje ouvimos os pais dizerem: “Não fazia ideia que outras famílias também passavam por isto! É reconfortante saber que não somos os únicos”.

Então, por favor, sinta-se confortável em saber que você não está sozinho aqui.   Clique aqui para ler experiências em primeira mão de outros pais.


* Texto original escrito por Debra C. Lowsky, MS, CCC-SLP – no Blog Oficial da Ark Therapeutic dos EUA. A Falconn Distribuidora e Importadora é uma empresa que faz parte do grupo da BmB Terapêuticos. A Falconn é a distribuidora oficial da Ark Therapeutic no Brasil. Portanto, ambas as empresas são autorizadas a replicar os conteúdos oficiais da Ark Therapeutic no em português, no Brasil.

Debra C. Lowsky

Sobre a autora do post:

Debra C. Lowsky, MS, CCC-SLP

***Todo o conteúdo deste site, incluindo opinião médica e qualquer outra informação relacionada à saúde, é apenas para fins informativos e não deve ser considerado como um diagnóstico específico ou plano de tratamento para qualquer situação individual. O uso deste site e as informações contidas neste documento não criam uma relação médico-paciente. Sempre procure o conselho direto de seu próprio médico em relação a quaisquer perguntas ou problemas que você possa ter em relação à sua própria saúde ou à saúde dos outros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *